CPI: Flávio Bolsonaro diz que pai receberia relatório com gargalhada

Documento fala sobre ações e omissões do governo na pandemia de Covid e pede o indiciamento de 66 pessoas e duas empresas

BATANEWS/R7 / BRASíLIA | SARAH TEóFILO, DO R7, EM BRASíLIA


Senador disse que o documento elaborado por Renan Calheiros é de 'mau gosto' - Ricardo Moraes/Reuters - 06.05.2019

O senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ) disse nesta quarta-feira (20), data da leitura do relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19, que o presidente da República, Jair Bolsonaro, receberia o documento com uma risada. Ele foi questionado sobre como o presidente recebe o relatório que sugere o indiciamento do mandatário por 10 crimes cometidos no âmbito da pandemia que matou mais de 600 mil pessoas no Brasil.

'Acho que ele recebria da seguinte forma. Você conhece aquela gargalhada dele?', afirmou, imitando em seguida a risada do presidente. 'Não tem o que fazer de diferente disso. É uma piada de muito mau gosto o que o senador Renan Calheiros faz. É um relatório inconstitucional. Não há nada que se aproveite. E ele prestou um grande desserviço à população', afirmou Flávio, que é integrante da comissão.

O parlamentar defende que o maior escândalo de corrupção que a CPI acusa o governo federal é de uma vacina que 'sequer foi comprada'. 'Não foi gasto um real de dinheiro público e eles estão falando de corrupção', disse. Flávio se refere à vacina indiana Covaxin, do laboratório Bharat Biotech. O governo chegou a assinar um contrato de R$ 1,6 bilhão para a compra de 20 milhões de doses do imunizante, por meio da empresa Precisa Medicamentos. O contrato, no entanto, foi cancelado após suspeitas de irregularidades terem sido reveladas pela CPI.