Lewandowski questiona CPI sobre pedido de Zambelli para depor

Deputada federal acionou STF para ser ouvida pela comissão; ela diz que seu indiciamento foi pedido sem que pudesse se defender

BATANEWS/R7 / R7 PLANALTO | PLíNIO AGUIAR, DO R7


A deputada Carla Zambelli (PSL-SP) - Cleia Viana/Câmara dos Deputados - 17.09.2021

O ministro Ricardo Lewandowski, do STF (Supremo Tribunal Federal), solicitou nesta terça-feira (19) informações da CPI da Covid sobre o pedido feito pela deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) para prestar depoimento à comissão.

A parlamentar, aliada do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), acionou a Corte para ser ouvida pelos senadores. Zambelli argumenta que deveria prestar depoimento por ter tido seu nome citado diversas vezes nas reuniões da comissão, inclusive pelo presidente Omar Aziz (PSD-AM) e o relator Renan Calheiros (MDB-AL).

Além disso, a parlamentar questiona também o fato de Renan Calheiros, em seu relatório final, pedir o indiciamento dela “sem sequer ter concedido o direito de defesa, ao qual todos devem ter acesso'.

“Estamos entrando com habeas corpus no STF para que eu possa exercer meu direito à ampla defesa garantido pelo Código de Processo Penal e ser ouvida na CPI', afirmou Zambelli. “Espero que os líderes da comissão, como Renan Calheiros [relator] e Omar Aziz [presidente], tenham a decência de me convocar', complementou.

A CPI está em fase final e, nesta quarta-feira (20), se reúne para fazer a leitura do relatório final, produzido pelo relator, senador Renan Calheiros (MDB-AL), que recuou e retirou do texto crimes imputados ao presidente Jair Bolsonaro no texto preliminar (homicídio e genocídio contra a população indígena). O documento tem 1.180 páginas e pedido de indiciamento contra 66 pessoas e duas empresas.