Paulo Guedes perde quatro secretários após ordens para furar teto de gastos com Auxílio Brasil

Exigência para conseguir recursos para o programa social veio do presidente Bolsonaro

BATANEWS/REDAçãO


Crédito: Sérgio Lima - Poder 360

O Ministério da Economia perdeu quatro secretários, nesta quinta-feira (21). Todos se demitiram, após ordens do presidente da República para furar o teto de gastos e bancar o Auxílio Brasil. 

Segundo o UOL, os demitidos foram o secretário Especial do Tesouro e Orçamento, Bruno Funchal e o secretário do Tesouro Nacional, Jeferson Bittercourt. Os dois pediram a exoneração ao ministro Paulo Guedes. 

'A decisão de ambos é de ordem pessoal. Funchal e Bittencourt agradecem ao ministro pela oportunidade de terem contribuído para avanços institucionais importantes e para o processo de consolidação fiscal do país', diz a nota divulgada pelo Ministério.

Tanto Funchal quanto Jeferson se manifestaram contrários ao rompimento do teto de gastos. 

Ainda segundo o UOL, o ministério também anunciou a saída da secretária Especial adjunta do Tesouro e Orçamento, Gildenora Dantas, e o secretário-adjunto do Tesouro Nacional, Rafael Araujo. Os dois alegaram questões pessoais. 

'Os pedidos foram feitos de modo a permitir que haja um processo de transição e de continuidade de todos os compromissos, tanto da Seto quanto da STN', observou o Ministério.