Boi: demanda na 1ª quinzena de agosto deve recuperar preço da carne

BATANEWS/REDAçãO


O mercado físico de boi gordo registrou preços pouco alterados na segunda-feira (18).

Segundo o analista de Safras & Mercado Fernando Henrique Iglesias, a semana iniciou com menor fluxo de negócios.

“Muitos frigoríficos ainda estão ausentes da compra de gado, avaliando as melhores estratégias para aquisição de boiadas no curto prazo. A tendência é que em alguns estados do Centro-Norte persista o movimento de pressão de queda nos preços da arroba do boi, dada a posição ainda confortável das escalas de abate', disse Iglesias.

O comentarista ainda afirma que já a partir de agosto o mercado contará com novos elementos de alta, a começar pelo aquecimento da demanda doméstica, com o Dia dos Pais atuando como motivador do consumo de carnes em todo o país.

Dessa maneira, em São Paulo (SP), a referência para a arroba do boi continuou a R$ 316. Já em Dourados (MS), os preços subiram em R$5 chegando a R$296.

Ao mesmo tempo, em Cuiabá (MT) a arroba de boi gordo caiu R$2 e teve preço de R$ 291. Por outro lado, em Uberaba (MG), os preços continuam a R$ 300.

Finalmente, em Goiânia (GO), os preços também permaneceram a R$ 295 a arroba.

O mercado atacadista também voltou a operar com preços em queda.

Segundo Iglesias, o ambiente de negócios volta a sugerir pela continuidade deste movimento no curto prazo, em linha com uma reposição mais lenta entre atacado e varejo durante a segunda quinzena do mês.

Além disso, o especialista ainda diz que a demanda na primeira quinzena de agosto terá capacidade para promover uma recuperação dos preços da carne bovina.

Custo de produção de aves e suínos segue pressionado no Paraná

Dessa maneira, o quarto dianteiro do boi caiu para R$ 17,30, assim como a ponta de agulha caiu a R$ 17,10.

Por fim, o quarto traseiro do boi permaneceu com preço de R$ 22,35 por quilo.

Agência Safras*