Resgatar o autocuidado é o primeiro passo na reconstrução do pós-parto

SAúDEMS / ANA BORGES / ASSESSORIA,


O puerpério traz consigo muitas mudanças na vida de uma mulher. As transformações no corpo, na rotina, na forma de agir e de pensar são uma unanimidade e, com elas, vêm também insegurança, medo, sensação de impotência, comparações e pouco tempo para cuidar de si enquanto se recupera do parto, algo que pode levar anos. Todos esses fatores impactam na autoestima e prejudicam a qualidade de vida.  Por isso, retomar interesse pelo autocuidado deve ser o primeiro passo para que corpo e mente voltem ao equilíbrio de antes. “Encarar o espelho pode mudar a forma como a mãe se percebe”, explica o médico Laercio Guerra, especializado em cirurgia plástica e cofundador da Evive.

A clínica, especializada em cirurgia plástica e dermatologia, está à frente do recém-lançado Programa Aurora, uma iniciativa que ganhou impulso pela maior procura por ajuda nessa jornada do “mommy makeover” ou reforma da mamãe, no bom português. Teoricamente, são técnicas que reúnem três diferentes procedimentos que podem ser feitos num único ato cirúrgico, ou mesmo em tempos distintos, a depender das condições de cada paciente. Uma delas é a cirurgia na região mamária, em que por conta das queixas da paciente podem ser indicadas desde colocação de próteses e  mastopexia até mamoplastia redutora. Já para as queixas relacionadas ao abdome, podem ser recomendadas a abdominoplastia, a lipoaspiração ou ainda a associação entre duas.

No Aurora, porém, este conceito foi ampliado e se refere a um conjunto de tratamentos que buscam amenizar alterações corporais decorrentes do período pós-parto. “Entendemos que essa mulher é um ser integral e precisa de uma equipe multidisciplinar capaz de apoiá-la em cada aspecto dessa retomada”, diz Guerra.

Ele explica que embora as queixas mais frequentes estejam relacionadas ao abdome e às mamas, está claro que só a realização de um procedimento cirúrgico pode não ser suficiente. Então, a proposta do Aurora é oferecer apoio para uma mudança de hábitos de vida como a prática de atividades físicas e reeducação alimentar, por exemplo. “Nos preocupamos em envolver diversos profissionais para desenvolver uma jornada cuidadosa, que leva em conta até as questões psicológicas. Nosso foco não é apenas realizar a cirurgia, mas sim ajudar as pessoas a resgatarem sua autoestima”, afirma.

Na prática, o Aurora oferece uma plataforma de autoavaliação, com consultas tanto presencial como por telemedicina, que permite análises e simulações em 3D para auxiliar na tomada de decisão e telemonitoramento para orientações e seguimento dos cuidados. Assim, o projeto oferece inovação tecnológica sem abrir mão do atendimento humanizado para conduzir as mães à reconexão com seus ideais de autoestima, felicidade e bem-estar.